fbpx

Dias de muito sol são ideais para ir à praia ou ao parque – o principal é aproveitar ao máximo o tempo bom.

Mas depois de algum tempo o corpo precisa de uma pausa. Quem fica muito tempo exposto ao sol corre o risco de sofrer uma insolação. E quem se esforça muito em ambientes quentes pode até sofrer um golpe de calor.

Aqui estão algumas dicas para evitar essas situações e o que fazer caso ocorram.

Quem fica muito tempo exposto ao sol corre o risco de sofrer uma insolação. (Ilustração: Getty Images)

O que é uma insolação?

Muito sol na região da cabeça e do pescoço pode causar insolação. As meninges e o tecido cerebral ficam irritados com o superaquecimento e pode ocorrer a chamada meningite asséptica, uma inflamação das meninges que não é causada por bactérias.

Dor de cabeça é geralmente o primeiro sintoma. A pessoa atingida fica com a cabeça quente e vermelha, o pescoço dói, podem ocorrer cansaço, náuseas e vômitos, também tonturas. A temperatura corporal de um paciente com insolação geralmente não é elevada, mas baixa.

O que fazer em caso de insolação?

Quem é afetado por insolação deve ser imediatamente levado para um ambiente fresco e deitado de costas, para que possa se recuperar o mais rapidamente possível. A cabeça e a parte superior do corpo devem ficar um pouco mais elevadas.

Toalhas frias e molhadas ajudam a resfriar áreas do corpo como o pescoço. Além disso, estando consciente, o paciente deve beber muito, para que o equilíbrio hídrico volte ao nível normal. Segundo especialistas, a transpiração excessiva pode levar a uma perda adicional de líquidos de até dois litros em dias muito quentes.

Até que os sintomas desapareçam, é recomendado permanecer deitado.

Importante: em casos mais graves podem ocorrer vômitos intensos, confusão mental ou até perda de consciência. Aí um médico deve ser consultado, também para evitar que a insolação progrida para um golpe de calor.

O que é o golpe de calor?

Os termos insolação e golpe de calor são frequentemente usados como sinônimos, mas há diferenças. O golpe de calor é bem mais perigoso que a insolação. Ele pode ser desencadeado por exposição direta ao sol ou por esforço físico excessivo num ambiente quente.

Devido à alta temperatura externa, o corpo absorve mais calor do que consegue liberar. A temperatura corporal pode subir para 41ºC em apenas 10 ou 15 minutos. Esse superaquecimento agudo desencadeia uma resposta inflamatória em todo o corpo.

O sistema de regulação da temperatura corporal pode ser desativado, por exemplo, com a produção de suor falhando e o corpo acumulando calor.

Um golpe de calor pode ser fatal. Os sintomas possíveis incluem problemas de consciência, dores de cabeça, tonturas e sonolência, além de convulsões, vômitos, diarreia e baixa pressão arterial. Um golpe de calor se desenvolve entre uma e seis horas e pode acarretar morte em menos de 24 horas, se não forem tomadas medidas.

Em idosos, portadores de doenças crônicas e crianças, o golpe de calor geralmente ocorre devido à combinação de altas temperaturas e grave deficiência de líquidos e eletrólitos. Em adultos saudáveis, esforço físico excessivo, como prática esportiva ou trabalho ao ar livre, geralmente é a causa.

O que fazer no caso de golpe de calor?

Aos primeiros sinais, deve-se chamar o serviço de emergência. O corpo deve ser resfriado o mais rapidamente possível, o paciente transferido para um local fresco e, se possível, ingerir líquidos. Roupas supérfluas devem ser retiradas.

Se a pessoa estiver inconsciente, mas respirando normalmente, deve ser colocada em posição lateral de segurança até a chegada do serviço de emergência. A respiração e a consciência devem ser verificadas regularmente.

Se a respiração não é normal, é preciso iniciar medidas de reanimação.

Evite a insolação e o golpe de calor

Temperaturas extremamente altas logo confrontam a regulação térmica do organismo humano com seus limites. Além disso, idosos costumam beber menos. Como resultado, o corpo não consegue produzir suor suficiente, o que impede que se resfrie por conta própria. Em muitos casos, é recomendado e mais seguro chamar um médico.

A melhor forma de evitar a insolação ou o golpe de calor é óbvia: não pegar sol demais, proteger a cabeça com um chapéu claro, pois cores claras refletem calor, evitar a exposição ao calor extremo e beber bastante água.

Como regra geral: um adulto precisa de pelo menos meio litro de água adicional em dias quentes.

Neste artigo

plugins premium WordPress