em

Indígenas fazem sandálias com látex da Amazônia e vendem via WhatsApp

Os chinelos e sandálias são feitos com puro látex, tingidos naturalmente com terra e urucum, solado com pó de madeira e bordados com linha de palha de buriti.

Tecnologia e sustentabilidade podem caminhar juntas sim. Mulheres indígenas do Acre encontraram uma forma de produzir sandálias 100% orgânicas no meio da floresta sem prejudicar o meio ambiente.

Para fazer as vendas dos produtos da marca Ararinha, elas usam a internet, o WhatsApp e os Correios, que entregam em qualquer parte do Brasil.

“As mulheres produzem os calçados e os homens colhem o látex – com o cuidado de deixar descansar as seringueiras após três tiragens. 15 indígenas trabalham na produção. Dois homens na retirada do látex e 13 mulheres na produção”, contou a designer dos calçados Ararinha, Daosha Vaxā Shawā (Pássaro Alegre) em entrevista ao SóNotíciaBoa.

Os chinelos e sandálias são feitos com puro látex, tingidos naturalmente com terra e urucum, solado com pó de madeira e bordados com linha de palha de buriti. “São tingidas naturalmente, com argila de diversas cores e frutos da floresta”, afirmou.

Daosha garante que, além de bonitos, os calçados dos indígenas também são mais resistentes e confortáveis.

“São extremamente mais confortáveis que os do mercado, porque a borracha “calça os pés”, ela se molda, não aperta e é extremamente leve. Eles parecem moldados diretamente nos pés, de tão bem ajustados… São de alta resistência, mais do que os calcados comuns, porque não descolam e não desbotam em contato com água”, afirmou.

Daosha tem 52 anos e é casada com Txada Shawã, da etnia Shawãdawa do Acre.

“Não sou indígena desta etnia, mas quando casamos com um deles nos consideram indígenas também”, explicou Daosha.

Ela lembra que a ideia das sandálias sustentáveis surgiu há 3 anos, mas as vendas começaram há pouco tempo.

“Após mulheres indígenas receberem uma capacitação de como transformar o látex  em folha de borracha, (FSA), senti a necessidade de criar calçados com esse material, fazendo uma experiência que deu certo, e juntamente com meu companheiro Txada Shawã e mais duas lideranças da aldeia Shawã Nãba , Yuvanã Shawã e kumawã Shawā, decidimos dar continuidade, aperfeiçoando cada vez mais os calcados”, disse.

Continue lendo no Só Notícia Boa

Publicado porEdmilson Ferreira

Polícia Militar acaba festa em buffet que adolescentes portavam arma de fogo e entorpecentes

 Semana será de calor abafado e  chuva na parte da tarde no Acre