fbpx

Terremotos no Acre tem a ver com Cordilheira dos Andes, diz professor de sismologia

A região amazônica registrou dois tremores de terra em um intervalo de oito dias, sendo um deles o maior abalo da história do Brasil, no final de janeiro, no município de Tarauacá, no Acre. O sismólogo do Centro de Sismologia da USP, professor Bruno Collaço, responsável pela implantação da Rede de Sismográfica Brasileira, explica que os tremores não têm ligação com o Brasil, mas com a Cordilheira dos Andes, e que são chamados de “sismos andinos”. Foram registrados a uma profundidade de mais de 600 km, segundo o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS).

É importante destacar que o Brasil tem tremores praticamente semanalmente, porém, em escalas menores, entre dois e três graus de magnitude, com 5 km de profundidade. Ceará, Rio Grande do Norte, sudeste de Minas Gerais e interior de São Paulo são as áreas que mais registram sismos.

Rota de terremotos
Com tantas mudanças climáticas registradas, principalmente no último ano, a dúvida que fica é se o Brasil, além de enfrentar calor e frio extremos, pode também entrar na rota dos terremotos. Collaço diz que não existe relação entre mudanças climáticas e terremotos.

Como o terremoto do Acre foi muito profundo, não causou danos materiais ou ao meio ambiente, como fauna, flora e rios da Amazônia; com isso, são pouco percebidos pelas pessoas.

Outro mito, que é muito comum, é achar que os tremores têm relação com a estação do ano. Eles podem ocorrer a qualquer momento, em qualquer parte do mundo.

O Centro de Sismologia da USP possui um site onde as pessoas podem encontrar informações sobre terremotos no Brasil e, em caso de presenciarem um tremor de terra, podem usar uma ferramenta no site para reportar o tremor.

Jornal da USP no Ar é uma parceria da Rádio USP com a Escola Politécnica e o Instituto de Estudos Avançados. No ar, pela Rede USP de Rádio, de segunda a sexta-feira: 1ª edição das 7h30 às 9h, com apresentação de Roxane Ré, e demais edições às 14h, 15h e às 16h45. Em Ribeirão Preto, a edição regional vai ao ar das 12 às 12h30, com apresentação de Mel Vieira e Ferraz Junior. Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo do Jornal da USP no celular.

Neste artigo

plugins premium WordPress