fbpx

Com um mercado em potencial, a exportação no Acre ainda é pequena e esbarra em entraves de logística, falta de voos internacionais e de fiscalização do Governo Federal. Essas são algumas das dificuldades identificadas pelos especialistas em economia da Fundação de Apoio e Desenvolvimento ao Ensino, Pesquisa e Extensão Universitária no Acre (Fundape) da Universidade Federal do Acre (Ufac) no Boletim de Conjuntura Econômica do Acre.

Nesta terça-feira, 15, o Fórum Empresarial do Acre divulga mais uma parte da 2ª edição do estudo sobre o comércio internacional do Acre e o mercado andino.

“O propósito desta reflexão, apresentada em forma de artigo, é de examinar/problematizar quais os principais problemas e/ou gargalos que ainda dificultam o crescimento do comércio internacional do Acre, principalmente com o mercado andino, utilizando a rodovia interoceânica, também conhecida como Estrada do Pacífico. Observa-se que tal conhecimento pode servir de base para estratégias e políticas de melhoria, de forma a contribuir para que, no futuro, o Estado do Acre possa aumentar a presença dos produtos fabricados em seu território no comércio mundial, melhorando a balança comercial e provocando, como consequência, impactos positivos no processo de desenvolvimento econômico e social”, aponta o estudo.

Para levantar a problematização, os estudiosos utilizaram informações públicas encontradas na internet, em anuários, de reuniões entre autoridades e também entrevistaram empresários e comerciantes da região para elencar as dificuldades que atrapalham o crescimento do comércio internacional do Acre, utilizando, principalmente, a Estrada do Pacífico como rota.

A Estrada do Pacífico, também chamada de Rodovia Interoceânica, liga o Acre ao Peru pela BR-317. Por meio do Corredor Interoceânico da Amazônia, o governo tentar fortalecer o comércio internacional do Acre. Os estudiosos levantaram os seguintes gargalos que impedem o avanço da exportação de produtos do Acre:

Falta de um porto seco ou Estação Aduaneira do Interior (EADI) no estado
Inexistência de voos internacionais entre Rio Branco e Lima (Peru)
Falta de mais fiscais do Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa)
Inconclusão das obras do Anel Viário sobre o Rio Acre que vai ligar as cidade de Epitaciolândia e Brasileia
Ausência de uma unidade para credenciamento da Agência Nacional de Transporte Terrestres (ANTT)
Variações Cambiais
Falta de um laboratório credenciado pelo Mapa para análise de alimentos

Neste artigo

plugins premium WordPress