fbpx

 

Há uma sabedoria bíblica que afirma que “a casa dividida entre si encontrará a ruína”. Bem, no Brasil estamos divididos há um bom tempo. O que podemos fazer pra nos unirmos novamente?

Tenho refletido bastante sobre o “after crisis” (o que fazer depois da crise) e cada dia mais vejo o Brasil atolado e patinando com pneus carecas em grama alta, lameada e encharcada.

Está complicado encontrar uma saída exequível no meio de tanto caos, no infinito de insanidade que tomou conta das ruas, famílias, grupos, redes sociais e os mais variados meios de comunicação.

Há uma imensa parcialidade de veículos de massa, quase que incitando a população a aplaudir “um lado” e condenar “o outro”.

Como se houvesse lados nessa história…

Não há lados.

Corrigindo, há apenas um: o lado do Brasil. Somos o Brasil! A cidade de Pindamonhangaba no interior de São Paulo é tão Brasil quanto Santa Rosa do Purus no interior do Acre. E elas estão distantes geograficamente apenas?

Não… hoje o que distancia as pessoas, as cidades, os estados, nosso povo, profissionais, amigos, familiares e toda sorte de entes é o nosso apego a “lados”.

É a nossa necessidade de “vencer e derrotar o inimigo”. Não percebendo que nosso semelhante é um espelho nosso. O mundo está incendiando com protestos antirracismo (justos e necessários), mas que não deveriam existir se desde sempre preservássemos o respeito entre as pessoas, tratando-as como se fosse nosso pai, mãe ou filho.

Este é o exercício que te convido a fazer e quem sabe isso sirva algum dia pra ampliar em ti um traço humano dos mais incríveis que temos:

Fale SEMPRE com os outros como você falaria com seu pai, sua mãe, seu filho, seu marido, sua esposa, sua avó, seu avô, aquele artista que você sonha em conhecer… porque geralmente para essas pessoas, usamos do máximo respeito que temos conosco.

Agora se pergunte: sempre foi assim? Sempre tratei assim todos?

Do pedinte do semáforo ao garçom do bar? De quem discorda de mim a quem torce pro meu time?

A base de toda sociedade evoluída é o respeito.

No Brasil estamos bem longe disso ser a nossa base.

Daniel Ribeiro.

*Daniel Ribeiro CEO da D’NEK, associativista, empresário, entusiasta de boas ideias. Diretor de Integração da Confederação Nacional de Jovens Empresários – CONAJE; Líder do Programa PASE VERDE da Federação Iberoamericana de Jovens Empresários – FIJE

Neste artigo