fbpx

 

 

Em encontro realizado no gabinete do coordenador da bancada federal do Acre, senador Sérgio Petecão (PSD-AC), o governador Gladson Cameli expôs a grave situação da segurança pública no Estado e informou que realizará no próximo domingo (9), em Rio Branco, reunião de emergência com representantes de todas as forças do Acre para se unirem ao governo na luta contra a violência. O objetivo é buscar alternativas conjuntas para enfrentar o problema.

O apelo do governador recebeu apoio da bancada federal, a exemplo do senador Sérgio Petecão. “Quero elogiar a humildade e grandeza do governador em vir aqui dizer que está aberto a críticas e sugestões e pedir para unirmos forças. O problema do Acre é grave e é preciso que devolvamos o maior patrimônio do Estado, que é a tranquilidade e a paz”, disse.

No encontro realizado no gabinete de Petecão, o governador expôs a sua preocupação e as medidas de enfrentamento que estão sendo tomadas pelo governo. “Nosso objetivo é dar as mãos e começar as mobilizações para dar uma resposta imediata para a sociedade”. Ele ressaltou que esse é um problema que vem de muito tempo, que precisa ser resolvido, apontando a união de todos como caminho para a solução.

“Não estou tirando minha responsabilidade e passando para outros. Pelo contrário, estou reconhecendo e pedindo apoio. Eu e o vice-governador estamos pedindo apoio para a bancada federal e demais poderes para que possamos dar uma resposta para sociedade”, disse o governador.

Ainda em Brasília, na terça-feira (4), o governador, juntamente com a bancada federal do Acre, pediu apoio ao ministro da Justiça, Sérgio Moro, que se comprometeu a formar um grupo de trabalho para definir medidas de apoio para ajudar no enfrentamento à violência no estado. A previsão é que os trabalhos comecem já na próxima segunda-feira (10).

O governador reforçou que o Estado não está de braços cruzados e está “fazendo o seu dever de casa”, relacionando providências como o reequipamento das forças de segurança do estado e medidas para aumentar efetivos policiais, como a recente edição de um decreto tratando sobre concurso para a Polícia Civil.

Cameli anunciou que ainda esta semana ou, no máximo, na próxima deverá ser publicada a convocação de 260 policiais que estão em casa e à disposição de outros órgãos, “para que possamos colocá-los para atuar na rua, para defender a população”.

Neste artigo