fbpx

De 1º de janeiro a 29 de março de 2023 o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) registrou nove focos de queimadas no Estado do Acre, redução de 66% em comparação a igual período de 2022, quando foram identificados 27 pontos de fogo nas florestas.
Apesar do número pequeno, esses focos são descobertos em meio à chuvas intensas que provocam inundações em várias regiões do Acre.
E, a depender das previsões, o risco de inundações deve continuar por esta sexta-feira (31) em algumas partes do Estado. “Considera-se alta a possibilidade de ocorrência de eventos de inundação para a mesorregião Vale do Acre, com atenção para a capital Rio Branco, Xapuri e Assis Brasil, que encontram-se acima da cota de inundação, ainda em elevação”, diz o Centro Nacional de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais (Cemaden).
Além das queimadas e alagações, o desmate é um problema para o Acre neste começo de ano. Segundo o mais atual informe do Imazon, apesar de apresentarem áreas desmatadas menores do que outros estados, por serem o sétimo e o oitavo em extensão territorial na Amazônia, Roraima e Acre apresentaram altas superiores a 100% no desmatamento em fevereiro. Em Roraima, a devastação passou de 9 km² em fevereiro de 2022 para 19 km² no mesmo período de 2023, um aumento de 111%.
Acesse e saiba mais sobre queimadas no Acre: https://queimadas.dgi.inpe.br/queimadas/portal-static/situacao-atual/

Neste artigo

plugins premium WordPress