em

João Correia pede que Petecão desça do muro; Senador rebate “foi esquecido”

O ex-deputado federal João Correia (MDB) usou as suas redes sociais para dar pitacos a cerca da movimentação política feita pelo senador Sérgio Petecão (PSD) nos últimos meses, que num primeiro momento ensaiou uma aliança com a atual prefeita de Rio Branco, Socorro Neri (PSB) e depois ao deputado Roberto Duarte (MDB) e agora recentemente declarou que não apoiaria ninguém nas eleições de 2020.

Correia resolveu dar três avisos ao senador acreano citando os episódios em que foi envolvido. “Com efeito, o Senador Petecão resolveu sair da disputa pela Prefeitura de Rio Branco mesmo dispensando aos mais conhecidos pré-candidatos uma hierarquia de afetos, supostamente eivados de alegria. Dessa forma, disse adorar o José Bestene; gostar muito do Roberto Duarte; respeitar a Socorro Neri; não apoiar o Minoru Kinpara. Dos quatro citados, o não apoio a Kinpara decorre dele ser do grupo do Vice Governador Major Rocha, rival de Petecão na sucessão de Gladson Cameli”, citou o ex-parlamentar.

O emebista afirmou que sua opinião pessoal e não tem nenhuma ligação com o MDB, partido ao qual é filiado. “A decisão de Petecão ao invés de semear alegrias acabou oferecendo tristezas, bem mais tristezas. Senão vejamos: a começar do próprio Petecão que fez diversos convites públicos para a vinda ao PSD da Prefeita Socorro Neri ( PSB ) e do ex Deputado Federal Raimundo Angelim ( PT ), enquanto candidatos, e teve seus convites recusados. Ficar inerte, nesse caso, significa um rebaixado sentimento de fracasso”, alfinetou.

O ex-deputado afirmou ainda que o deputado José Bestene (PP), “primeiro violino da orquestra, que o Senador Petecão disse adorar, ficou com gosto de cabo de guarda-chuva na boca. Afinal de contas, o sentimento divino da adoração não teve a importância concreta necessária para fazer sua candidatura ter garantia de ir ao segundo turno”, frisou.

Para João Correia, o deputado Roberto Duarte ficou bem na foto da cesta de sentimentos do Senador Petecão, “que gosta muito dele, mas é o segundo violino e não dá o comando da orquestra. Fica sempre o sentimento de preterição e nos afetos senatoriais é uma meia sola, um regra três”.

A Prefeita Socorro Neri também foi alvo dos comentários de Correria quando afirmou que ela “mereceu o vetusto afeto do respeito [do senador], mas que não soma forças políticas relevantes em primeiro ou segundo turnos da próxima eleição. A Prefeita já aguardou mais do popular Senador”.

“Mesmo o candidato Minoru Kinpara, aparentemente o patinho feio dos afetos do Senador Petecão, não tem motivos de comemoração. Favorito, hoje, nas pesquisas de opinião, não saberá, se for ao segundo turno, se o feito dever-se-á aos méritos pessoais próprios, partidários ou das alianças ou se pode ocorrer pela ausência do Senador Petecão no certame. E, por fim, os rio-branquenses, em seu lenitivo, terão um sentimento de perda pela falta que lhes fará a silhueta do bonachão e divertido Petecão nessa disputa eleitoral.
No intuito de superar as afecções negativas e melancólicas desses agentes, inclusive do Senador Petecão e do povo de Rio Branco, tomo a liberdade de sugerir- lhe que desça do muro aparente e apoie com unhas e dentes políticos a candidatura de José Bestene; de preferência sugerindo a poderosa ex Deputada Federal, Marfisa Galvão, sua esposa, como parceira de chapa de José Bestene”, sugeriu João.

João Correria afirmou que caso Petecão opte por Bestene, o cenário pode mudar. “Se isso acontecer, tenho certeza de que todos os agentes citados mudarão o afeto da tristeza na direção do da alegria, aumentando vigorosamente a potência de agir de todos eles. O Senador Petecão, para começar, superará o sentimento de fracasso na empreitada das eleições municipais de Rio Branco e agirá contente e afirmativo mais uma vez em prol do querido amigo que adora. Não será a primeira vez que tal ocorrerá e o risco de depressão política será afastado. José Bestene receberá um precioso e ativo reforço que poderá colocá-lo no segundo turno das eleições e o entusiasmo seu e do seu entorno político só tenderá a crescer. Roberto Duarte superará a preterição senatorial de apenas dele gostar e se animará com a possibilidade de obter em negociação o inestimável apoio de Bestene/Petecão no segundo turno, caso Roberto Duarte vá ao segundo turno e o Bestene não. É lógico que a negociação implicará em plena reciprocidade. Se a disputa se der entre José Bestene e Roberto Duarte, esse último saberá que não poderá contar de forma alguma com o concurso do Petecão e tentará apoios em outras freguesias. A Prefeita Socorro Neri, herdeira do afeto senatorial do respeito, poderá fazer seus cálculos realistas, sabendo, todavia, de que poderá obter o apoio do Senador Petecão só e somente se ela disputar o segundo turno com Minoru Kinpara”, analisou.

Ao ler a análise de Correria, Petecão respondeu. “Esse é o Nosso velho conhecido filósofo professor João Correia . Tá puto !!!!! levaram todo mundo da chapa do Governador Ulisses , Senador Paulo Pedraza , Bocalom. Só esqueceram do meu querido JC. Como consolo amigo , eu assisti o filme , esqueceram de mim 2 . Pura sacanagem . O homem está Puto com razão”, ironizou o senador.

Fonte: ac24horas.com

Publicado porserv.oaltoacre.com

Em vista ao Acre, Mourão promete mais empenho na segurança das fronteiras

Coronavírus na Bolívia: aulas e voos suspensos