fbpx

Diarréia, traumas e mordeduras: UPA tem de ampliar atendimento

A Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre) definiu a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do 2º Distrito como posto referencial no atendimento às vítimas da enchente, em Rio Branco. Com isso, para reforçar a qualidade dos serviços prestados, foram abertos 11 novos leitos e disponibilizados quatro médicos no ambulatório e dois na emergência clínica e traumática.
“A Sesacre se reorganizou para atender melhor à população atingida pelas enchentes. Apresentou sintomas como febre, dor no corpo, diarreia e vômito, o usuário deve procurar a UPA do 2º Distrito”, orientou o coordenador do Centro de Operação de Emergência em Saúde (Coes), Edvan Meneses.

De acordo com o gerente de assistência da UPA do 2º Distrito, Ádalo do Nascimento, o período colabora para o aumento de casos de doenças de veiculação hídrica (síndrome diarreica, leptospirose, entre outras).

“Notamos um aumento significativo de casos de síndrome diarreica, traumas de pequeno porte e mordedura de animais. Com a unidade de referência, conseguimos centralizar um ponto de assistência em saúde. Isso possibilita praticidade, agilidade e resolutividade às vítimas”, declarou.

Fluxo do atendimento
No ato da confecção da ficha de entrada, o paciente é identificado e passa a ter tratamento diferenciado. Como a maioria dos pacientes são conduzidos de abrigos próximos, o atendimento é realizado com a maior agilidade possível, tendo em vista que as delegações devem retornar para outras ocorrências.

A aquisição de material e medicamentos em quantitativo extra, poltronas a mais para a sala de medicação e a alteração de padrão excepcional para reforçar as equipes na linha de frente do atendimento foram outras medidas adotadas para a implantação do fluxo.

Neste artigo

plugins premium WordPress