em

Fronteira generosa, droga de qualidade e mão-de-obra sobrando motivam guerra de facções no Acre, diz porta-voz de Gladson         

 

Em entrevista à repórter Renata Martins, da Rádio Agência Nacional, a porta-voz do governo de Gladson Cameli,   Mirla Miranda, disse  que o aumento da violência  no Estado tem relação direta com o acirramento da disputa entre facções pelo tráfico de drogas e a vulnerabilidade social da população. 

A declaração da porta-voz corrobora com o discurso da cúpula da segurança pública do Acre.  “Essas organizações encontraram, na região Norte e especificamente no Estado do Acre, as condições ideais para a manutenção do seu poderio econômico”, disse Mirla.  

Ela completou que “temos uma extensa fronteira desguarnecida, com baixa densidade demográfica, uma droga de qualidade, preço baixo e o pior é a mão de obra abundante resultante dos péssimos indicadores socioeconômicos da região”. 

  

Publicado porEdmilson Ferreira

Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas abre inscrições nesta segunda, 10

Iniciada no Acre, BR-307 é um pesadelo de cratera e lama