fbpx



O ALVO principal da deputada federal Jéssica Sales (MDB), foto, na sua entrevista de ontem ao programa “Boa Conversa” do ac24horas, foi o secretário de Saúde Alysson Bestene, aos quais fez duras críticas ao seu trabalho.

Jéssica, ao mesmo tempo em que procurou mostrar o que chamou de “incompetência” de Alysson, se colocou como uma opção de qualidade para ser a vice, numa eventual escolha do seu nome para estar na chapa do governador Gladson Cameli, na eleição do próximo ano. O que dá para se deduzir? Ficou bastante claro que o grupo da parlamentar não avaliza a indicação do secretário para vice do Gladson Cameli, que deve brigar dentro do MDB para que o partido ocupe o espaço da vice na chapa do governador.

Isso mostra que a disputa para ser o vice na chapa de Cameli ainda vai ter desdobramentos até que venha ser oficializada. Apontar o vice continua sendo o cenário pelo qual o MDB vai brigar até o último round.

CHAMOU ATENÇÃO

O QUE CHAMOU também atenção na entrevista da desenvolta deputada federal Jéssica Sales (MDB), foi o relato das conversas de bastidores. Já conversaram com o grupo Sales o governador Gladson Cameli, o senador Sérgio Petecão (PSD), e o ex-senador Jorge Viana, mas com a ressalva que não houve acordo com nenhum deles.

APOIADA EM FORTE BASE

CONVERSEI ontem com importante figura política da oposição, e essa me disse que, a indicação da deputada federal Jéssica Sales (MDB) para ser a vice da chapa do governador Gladson deverá ser ancorada no apoio do MDB, PTB, REPUBLICANOS e PSDB. Ou seja, o jogo para vice ainda será jogado até a prorrogação.

CHAPA NA MESA

NO ATO da manutenção do Pedro Valério na presidência do PSL, a acontecer segunda-feira, deverão ser apresentados alguns nomes com nichos eleitorais de candidatos a deputado federal como Ulysses Araújo, Eduardo Veloso, Ana Beirute, Sargento Adonis, Fernando Lage, Lucila Brunetta, o próprio Valério e Rodrigues Pires.

A SE DESTACAR

É BOM RESSALVAR ser o PSL um dos partidos com maior Fundo Eleitoral para financiar as suas candidaturas proporcionais. O que interessa a uma sigla é ter em Brasília um maior número de deputados federais.

LARGADA DA OPOSIÇÃO

A OPOSIÇÃO faz a sua primeira grande reunião para discutir a eleição de 2022 e a chapa majoritária, só na próxima segunda-feira, a pedido do presidente do PSB, César Messias. PSB, PCdoB, PSOL e PT comporão o grupo.

APENAS NOS BASTIDORES

A OPOSIÇÃO vinha tendo manifestações pontuais, mas não discutiu ainda o projeto do grupo para 2022. Uma alternativa é uma chapa com o deputado Jenilson Leite (PSB) para o governo e Jorge Viana (PT) ao Senado.

QUESTÃO DECIDIDA

AMIGO próximo do ex-prefeito Raimundo Angelim revelou ontem ser questão decidida que este não seja candidato a deputado federal. Ficará apenas nos bastidores, ajudando as candidaturas do PT.

NOME MUITO FORTE

COSTUMO ouvir muitos comentários positivos sobre a candidatura do ex-prefeito Marcus Alexandre a deputado estadual. Deixou o poder, mas não perdeu a simpatia do povo. O que não é muito comum por estas bandas.

NÃO ME PERGUNTE

QUEM será o candidato ao Senado ao compor na chapa do governador Gladson Cameli, não sei responder. Acho que, hoje nem o Gladson tem resposta para a indagação.

NÃO VEJO ALTERNATIVA

AO NÃO ser que, surja algum nome fora do ponto da curva na disputa presidencial como alternativa, a polarização deve acontecer entre o Lula e o Bolsonaro.

GANHOU TODAS

OS BOLSONARISTAS querem a todo custo tirar o Tite do comando da seleção brasileira, sob o cômico argumento que, ele é “comunista” e ligado ao Lula. Querem tirar um técnico que ganhou todas partidas das Eliminatórias para a próxima Copa do Mundo.

PÉS NO CHÃO

O GOVERNADOR Gladson Cameli está com os pés no chão. Foi taxativo na sua última entrevista de que não tem reeleição ganha, e que não se baseia na aceitação do governo.

LEI IMPEDE

POR MAIS boa vontade que o governador Gladson Cameli tenha de resolver as pautas da Educação e Saúde, ainda assim será difícil: o governo passou do limite da Lei de Responsabilidade Fiscal com o gasto de pessoal.

 PP CALADO

ATÉ aqui o PP é o partido que não tem se manifestado sobre a disputa do Senado e da vice na chapa do governador Gladson Cameli. Seus dirigentes querem ver primeiro que rumo as discussões vão tomar em 2022.

NÃO ESTÃO ERRADOS

OS DIRIGENTES do PP não estão errados quando ficam calados, tudo o que se falar no momento é baseado em suposições, sobre como ficarão as composições eleitorais.

FRASE MARCANTE

“Não há prazer mais complexo do que o de pensar”. (Roberto Shinyaschiki).

Neste artigo